marca_blog

O que é IPv6 e por que você deve pensar em usá-lo?

Lançado em 1983, o IPv4 ainda é o protocolo de internet mais conhecido para detectar dispositivos com acesso à rede. Mas, além de ser uma atualização da versão 4, você sabe quais são as vantagens do IPv6?

 

Quando duas ferramentas desempenham a mesma função, se torna necessário analisá-las em outros aspectos para fazer a escolha de usar uma delas. Com o IPv4 e o IPv6 não é diferente.

O que é IPv4 e IPv6

Os IPs são Protocolos de Internet (Internet Protocols) que servem como a identificação de um dispositivo em uma rede. Cada dispositivo tem um IP único e é assim que o computador que você conecta à internet pode ser encontrado e reconhecido.

De forma geral, um endereço IPv4 é composto por quatro conjuntos de números, que vão de 0 a 255 e são separados por pontos.

Já no IPv6, são oito conjuntos separados por dois pontos, o sinal gramatical “:”. Porém as diferenças entre eles vão muito além do que seus códigos.

Principais diferenças entre os protocolos

Vamos começar justamente por essa diferença na quantidade de números identificadores: o fato do IPv6 ter mais dígitos está diretamente relacionado à sua capacidade de gerar IPs.

Enquanto o IPv4 utiliza um endereço de 32 bits capaz de gerar 4,3 bilhões de endereços únicos, a versão 6 utiliza um endereço de 128 bits, capaz de gerar 1.028 vezes mais endereços únicos.

E os endereços não são apenas em maior quantidade: eles também são gerados automaticamente logo que um novo dispositivo faz conexão com a rede.

Além disso, ao usar o IPv6, eles podem se conectar a múltiplas redes de forma simultânea e enviar fluxos de informação para mais de um equipamento por vez.

Vantagens no uso do IPv6

Agora que as diferenças são tangíveis, fica mais fácil identificar as vantagens em adotar a versão 6 do protocolo ou escolher fornecedores que oferecem o IPv6 em suas soluções de rede e conectividade:

  • Maior capacidade de geração de IPs únicos;
  • Maior segurança pois usa criptografia de ponta a ponta: protege tanto a informação, quanto o usuário;
  • Manipulação de pacotes com maior eficiência e melhor desempenho;
  • Torna os provedores de serviços de internet mais hierárquicos ao habilitar que os provedores reduzam o tamanho de suas tabelas de roteamento.

Toda mudança normalmente ocorre aos poucos, mas você já deve ter percebido que aquelas relacionadas com tecnologia tendem a acontecer de forma acelerada.

Por isso, o IPv6 definitivamente veio para ficar, já que ele viabiliza movimentos grandiosos como a Internet das Coisas, a democratização da conectividade pelo mundo e, obviamente, supre o problema que o IPv4 já atingiu: o de não poder mais suportar novos endereços de IP.

A Winov usa endereços de IPv6 em suas soluções de conectividade para suportar as atualizações de segurança e qualidade de conexão, garantindo performance ao mesmo tempo que protege a movimentação dos dados entre dispositivos e redes.

Quer saber mais? Fale com um especialista!

Compartilhe este artigo:

Post Relacionados